Outubro 28 2008

 

"Pelo menos 43 mil licenciados desempenhavam em 2007 trabalhos de baixa qualificação ou não qualificados, como limpezas ou construção civil, segundo dados do Instituto Nacional de Estatística (INE). Sem emprego nas suas áreas, dizem-se «dispostos a tudo» para sobreviver."

 

 

"De acordo com números estimados pelo INE com base no Inquérito ao Emprego, no ano passado 7.200 pessoas com formação académica superior estavam empregadas em trabalhos não qualificados. Vendedores por telefone ou ao domicílio, pessoal de limpeza, lavadeiras e engomadores de roupa, empregadas domésticas ou estafetas são alguns dos exemplos constantes da lista de trabalhos não qualificados, segundo a classificação nacional de profissões."

 

 

"A estes, somam-se mais de 35.800 licenciados em trabalhos de baixa qualificação, que o INE integra em categorias como «operadores de máquinas e trabalhadores de montagem», «operários, artífices e trabalhadores similares» ou «pessoal dos serviços e vendedores». Seguranças, metalúrgicos, mecânicos, motoristas ou empregados de loja são algumas das profissões."

                                                                                                       FONTE:IOL

 

Ora bem...

 

Não quero cair no erro de dizer que há trabalhos menores, nem menos importante porque não é isso que se trata.

 

Há sim, sem dúvida, trabalho qualificado para o qual estudamos durante X tempo e o estado tinha a OBRIGAÇÃO de garantir no mercado de trabalho lugar para aqueles que se esforçam para obter a tal qualificação.

 

35.800 Licenciados a desempenhar uma tarefa que para o qual têm habilitações superiores é um dos factores que indica o desenvolvimento de um país.

 

É impossível um pais querer ser melhor, mais evoluído quando desperdiçar que a sua classe trabalhadora jovem não consegue desempenhar o papel para o qual está tecnicamente preparado.

 

Claro que a situação económica do país e mesmo do mundo não é ideal, mas as pessoas qualificadas no lugar certo potencia novas oportunidades de trabalhos para os desempregados. Isto só seria possível se houvesse uma restruturação do mercado, o que pelos sinais que o governo  dá diaramente não é nem de longe uma prioriade..

 

É pena..

publicado por enfermeiro_de_serviço às 13:09

Sabe, André, aqui no Brasil não é mto diferente daí não... Estamos em crise, mas pra dizer a verdade... sempre foi assim.
Bju no coração!!!
teresa castro a 28 de Outubro de 2008 às 15:58

E quantos já passaram por aqui?
Free Counter
Free Counter
Outubro 2008
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9
10
11

12
13
14
16
17
18

20
22
23
24
25

26
27
29
30
31


Vida De Enfermeiro

vida_de_enfermeiro
pesquisar
 
Quem nos visitou
blogs SAPO